Um campeão dentro e fora dos tatames: Paulinho conquista o Mundial de Judô para Todos

Do primeiro contato com o tatame à disputa do Special Needs World Judo Games (Mundial de Judô para Todos), realizado na cidade de Beverwijk, na Holanda, passaram-se quatro anos de muito esforço e dedicação diários, que levaram Paulo Henrique Amaral da Silva, o Paulinho, à conquista do título mundial.

Paulinho, que trabalha com informática na Gerência de Tecnologia da Informação (GTI) da Associação Antônio Vieira — ASAV, é atleta da Associação de Judô Gaba, de São Leopoldo (RS), e colecionou conquistas em solo brasileiro, entre elas, um torneio em Santa Catarina, no qual conquistou o primeiro lugar, e outro em São Paulo, onde garantiu o bronze. Dos bons resultados surgiu o convite para participar do Mundial.

Na Holanda, Paulo Henrique venceu seis lutas seguidas e trouxe o troféu de primeiro lugar para o Brasil. O retorno para casa foi muito comemorado. “Primeiro, eu fui recebido no aeroporto pelos meus colegas e, depois, surgiu a ideia do caminhão de bombeiros. Foi um momento único. Eu costumo dizer que 90% dos meus amigos foi o judô que me deu, e isso é o que mais vale”, destaca.

Morador de São Leopoldo, no dia 19 de abril, Paulinho ainda foi recebido pelo prefeito da cidade, Ary Vanazzi, e, após carreata com direito a caminhão do Corpo de Bombeiros, foi homenageado pela Câmara de Vereadores do município.

 

 

O judô como porta de entrada para uma nova vida

Paulinho comemorou junto aos colegas da GTI ASAV.

Paulo Henrique tem paralisia cerebral e, para melhorar o desenvolvimento motor, passou por vários esportes, como futsal e natação, mas foi no judô que encontrou o seu caminho. “Uma amiga minha, que praticava jiu-jitsu, comentou que eu tinha força nos braços, – eu sempre quis fazer uma arte marcial, mas tinha medo de me machucar – aí ela falou do judô, que eu aprenderia a cair. O judô me deu equilíbrio e muitos amigos, me ajudou 200%. Fora o incentivo dos colegas, isso não tem preço”, afirma.

Essa foi a primeira sementinha do esporte, que logo virou uma paixão. “Eu treino duas vezes por dia, todos os dias, porque eu sei que os meus movimentos são limitados e que o meu corpo responde de uma maneira mais lenta, então se eu não fizer mais que os outros, eu não vou chegar lá”, ressalta.

 

 

Um dia de reconhecimento na Unisinos

Reitor da Unisinos, Pe. Marcelo de Aquino recebeu Paulinho em seu gabinete.

Nesta quarta-feira (25/4), o campeão fez uma visita ao reitor da Unisinos, Pe. Marcelo Aquino, para agradecer o apoio dado pelos jesuítas. “Essa conquista, não é só minha, é de todos nós, porque ninguém ganha nada sozinho. Por isso, acho importante agradecer à Unisinos, aos meus colegas da GTI, a minha família, aos amigos que treinaram comigo, enfim, a todos”, enfatiza.

Superação e persistência são palavra de ordem na vida do atleta. “Quando eu comecei no judô eu não conseguia atravessar o tatame caminhando, hoje eu sou campeão mundial”, lembra orgulhoso. Mais que um troféu, Paulinho traz uma lição de vida. “Não foi fácil tive que treinar muito, teve dias que pensei em desistir, mas no dia seguinte estava lá. Para quem acha que não pode, eu tenho uma coisa a dizer: é preciso tentar e persistir. Se tu tem vontade, vai atrás do teu sonho, seja lá ele qual for. Não deixa ninguém dizer que tu não é capaz. Todo mundo pode, é só a gente querer”, finaliza.

 

Fonte: Michelli Machado/Assessoria de ComunicaçãoUnisinos

Fotos: Rodrigo W. Blum/Unisinos

Mais notícias

By | 2018-05-29T09:31:58+00:00 abril 26th, 2018|ASAV|