Reunião Nacional PIEA-RJE: assistentes sociais iniciam implantação do Mapa de Monitoramento Mensal Automatizado

Indo ao encontro da construção de um trabalho em rede e da integração entre os procedimentos da área de Ação Social, cerca de 30 assistentes sociais, representando 19 instituições jesuítas espalhadas pelo Brasil estão reunidos de 29 de janeiro a 1º de fevereiro, no campus Unisinos Porto Alegre, para participar da Reunião Nacional do Programa de Inclusão Educacional e Acadêmica (PIEA) da Rede Jesuíta de Educação (RJE).

A reunião tem por objetivo incentivar o trabalho integrado por meio da construção coletiva e da capacitação dos profissionais vinculados à área de Ação Social em todo o país, tendo como norte a missão e os documentos da Província dos Jesuítas do Brasil. Entre as novidades do encontro, destaque para os primeiros passos rumo à implantação do Mapa de Monitoramento Mensal Automatizado (MMMA), desenvolvido em parceria entre diversas áreas de conhecimento de instituições jesuítas, e que promete agilizar os processos, bem como garantir a transparência nos processos seletivos de bolsas de estudos.

Presente na abertura do encontro desta quarta-feira (30/1), o Superintendente Administrativo da Província dos Jesuítas do Brasil – BRA, Roberto Renner, salientou a importância do trabalho em rede realizado por todas as equipes de assistência social das instituições jesuítas no Brasil. “Estamos participando de um processo contínuo de integração. Precisamos qualificar ainda mais nosso atendimento e temos muita competência, organização e capacidade de troca conjunta. É importante termos ciência de que fazemos algo com um sentido muito maior, que é a inclusão”, destacou.

Para a assistente social do Colégio Loyola (MG), Josilene de Sousa, as perspectivas em torno da implementação do MMMA são extremamente positivas. “As expectativas são as melhores possíveis, no sentido da assertividade, da pontualidade da entrega, além de facilitar o trabalho integrado com os demais setores, que vão conseguir visualizar as informações, trazendo uma transparência de dados quantitativos para esse mapa. Isso irá otimizar o trabalho do assistente social, que tem outras demandas dentro de cada uma das unidades”, sinalizou.

Segundo a coordenadora da Diretoria de Assistência Social da ASAV, Leila Pizzato, essa construção coletiva de uma unidade conceitual e operacional tende a potencializar os resultados do trabalho voltado ao PIEA. “Reuniões como essa são espaços essenciais para formação e qualificação do corpo de profissionais. Esperamos, cada vez mais, nos consolidarmos como excelência técnica em nossa atuação”, frisou Leila.

A ação das equipes de assistência social das instituições jesuítas promove uma significativa mudança dos horizontes de milhares de famílias, entre elas as que vivem no bairro Socopo, em Teresina (PI), onde a Escola Santo Afonso Rodriguez – ESAR desenvolve relevante trabalho de inserção social, conforme relatou a assistente social, Lívia Queiroz. “A escola é uma referência para o bairro, tendo uma história de mais de 50 anos junto à comunidade. O alinhamento do processo facilita a transparência, nos dando respaldo jurídico e social. Isso é extremamente importante, pois fazemos um trabalho de acompanhamento dos alunos e dos familiares, que veem a ESAR como a esperança de um futuro melhor”, disse.

Fonte: Assessoria de Comunicação ASAV

Fotos: Matheus Kiesling/ASAV

Mais notícias

By | 2019-02-01T10:42:38+00:00 janeiro 31st, 2019|Ação Social|