Porto Alegre conhece os campeões da primeira Copa dos Refugiados

A Arena do Grêmio foi palco de um show de solidariedade na tarde do último domingo (26/3), em Porto Alegre. A primeira edição da Copa dos Refugiados realizada em território gaúcho, reuniu 110 participantes entre migrantes e refugiados do Haiti, Colômbia, Venezuela, Peru, Senegal e Angola, divididos entre oito equipes. Nas arquibancadas, os aplausos e gritos de incentivo, juntamente com o som dos tambores trazidos pelas torcidas, ajudaram a ditar o ritmo dos jogos e trouxeram animação às centenas de pessoas presentes no evento, que integrou o calendário de comemorações aos 245 anos de Porto Alegre.

A cerimônia de abertura contou com a presença de representantes da Associação Antônio Vieira (ASAV), do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), da agência Ponto e do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, organizadores e apoiadores do evento. Coordenadora do Programa Brasileiro de Reassentamento Solidário da ASAV, Karin Wapechowski destacou o trabalho desenvolvido em rede com demais instituições para acolher àqueles que escolheram o Brasil como sua nova casa. “Lutamos por um mundo sem fronteiras, sem muros. E a Copa dos Refugiados faz com que enxerguemos assim. A grande vitória desse torneio é a confraternização entre os povos. A ASAV se uniu a essa causa por acreditar nisso”, disse Karin durante o discurso de abertura. O idealizador da primeira Copa dos Refugiados – realizada em São Paulo – o congolês Jean Katumba, também esteve presente.

Instituições que apoiaram o evento promoveram diversas iniciativas simultâneas ao torneio de futebol, ações envolvendo inclusão social, digital, cidadã e trabalhista, como o apoio das entidades presentes para o compartilhamento de currículos. Doações de centenas de brinquedos foram realizadas em prol das crianças, assim como houve arrecadação de alimentos, encaminhados para Centro Ítalo Brasileiro de Assistência e Instrução às Imigrações (CIBAI Imigrações), dedicado a acolher migrantes e refugiados que chegam à cidade de Porto Alegre.

Dentro de campo, um total de sete partidas foram disputadas. Ao final da competição, ficaram frente a frente os representantes das equipes do Senegal e da Colômbia. Após uma partida muito disputada, a decisão do título ficou para os pênaltis. Com a vitória nas cobranças de tiros livres diretos, a taça foi erguida pelo senegalês Pape Assane Sarr, da equipe Coletivo Senegal, de Caxias do Sul. Mas vale lembrar que, independentemente dos resultados, a Copa dos Refugiados levantou apenas uma bandeira: a da paz.

Fonte: Assessoria de Comunicação ASAV

Fotos: Matheus Kiesling e Ana Klein/ASAV

Mais notícias

By | 2018-05-29T09:33:41+00:00 março 27th, 2017|Ação Social|