O Observatório Nacional de Justiça Socioambiental Luciano Mendes de Almeida (OLMA) esteve entre as entidades que marcaram presença no lançamento da campanha ‘A vida por um fio: autoproteção e lideranças ameaçadas’, que aconteceu na segunda-feira (25/5), em videoconferência que contou com aproximadamente 100 pessoas de todas regiões do país. A iniciativa tem por objetivo defender e promover eficazes políticas públicas de defesa das comunidades e pessoas ameaçadas, denunciar a nível nacional e internacional as ameaças sofridas por tais atores sociais e comunidades, além de auxiliar na construção de protocolos comunitários de autoproteção.

A campanha foi apresentada ao grupo que reuniu atores das pastorais sociais, representantes das organizações eclesiais e da sociedade civil vinculadas a defesa dos direitos humanos, lideranças de povos tradicionais, religiosos, religiosas, entre outros, e é uma iniciativa da Cáritas Brasileira, Comissão Episcopal para a Amazônia e Comissão Episcopal, Pastoral para a Ação Sociotransformadora da CNBB, Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP), Comissão Pastoral da Terra (CPT), Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), Conselho Indigenista Missionário (CIMI), Escola Nacional de Fé e Política (CEFEP), Instituto Agostin Castejon (IAC), Pastoral Carcerária Nacional, REPAM-Brasil, Centro Popular de Formação Vida e Juventude, Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) e Observatório Nacional de Justiça Socioambiental Luciano Mendes de Almeida (OLMA), da Província dos Jesuítas do Brasil.

A formação está dividida em cinco módulos virtuais que abordarão os principais elementos teóricos e práticos dos Direitos Humanos no âmbito socioambiental. Metodologicamente os participantes farão uma Trilha de Aprendizagem autônoma, com confluências coletivas em seminários gerais. Utilizando a plataforma Moodle, contarão com fórum de noticiais, subsídios de reflexão e atividades diversas. Cada módulo conta com diferentes facilitadores especialistas nos temas específicos que passaram por formação prévia dentro da própria plataforma.

O lançamento, além de apresentações gerais e combinações iniciais, contou com depoimentos de pessoas vinculadas ao programa federal de proteção a pessoas ameaçadas e assim, trouxe a real dimensão do desafio que os participantes encontrarão na defesa de seus objetivos.

Para assistir o lançamento basta acessar: https://www.facebook.com/vidaejuventude/videos/251706026100736/?v=251706026100736

A Campanha também desenvolveu um Guia Metodológico que busca alinhar as diferentes perceptivas a respeito dos Direitos Humanos e subsidiar pessoas e comunidades em ações concretas de defesa e autoproteção. O Guia pode ser acessado em:  http://olma.org.br/wp-content/uploads/2020/05/Guia-Metodológico_web.pdf

De acordo com o Caderno de Conflitos no Campo, desenvolvido anualmente pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), cerca de 580 mil pessoas lutam pelo direito a terra e água, hoje no Brasil. Apenas no último ano (2019) ocorreu um aumento de 23% dos conflitos no campo e nestes casos, foram identificados mais de 6 mil casos envolvendo pistoleiros, totalizando 32 assassinatos.

Com esta ação, a Igreja no Brasil e suas organizações de base, firmam seu compromisso com a defesa da vida, no caminhar junto com as comunidades do campo, da floresta e das águas. Acima de tudo, neste tempo de pandemia, inovam com coragem, em ambientes virtuais e no uso das novas tecnologias a favor da vida. Este é um marco histórico!

Fonte: Observatório Nacional de Justiça Socioambiental Luciano Mendes de Almeida

Imagem: Divulgação

Mais notícias