Uma das maneiras de incentivar a busca por conhecimento e novas culturas, o intercâmbio vai ao encontro da educação global, um dos pontos centrais da proposta pedagógica do Colégio Medianeira. Dessa maneira, a instituição de ensino jesuíta prepara os estudantes para que possam vivenciar experiências significativas em diferentes contextos e realidades.

O desafio dessa vivência, de se colocar no lugar do próximo e de assimilar novos conceitos, vai ao encontro da proposta de Aprendizagem Integral da Rede Jesuíta de Educação, que tem por objetivo formar sujeitos competentes, conscientes, compassivos e comprometidos.

Para o aluno do Terceirão, Paulo Henrique Sandrini Adamczyk, intercambista do Medianeira no Canadá, a experiência em outro país propicia ressignificar elementos do cotidiano. “A cultura é bastante semelhante, mas a rotina e a dinâmica da cidade são muito diferentes. Comparar como as coisas são lá e como funcionam aqui faz com que a gente reflita”, disse.

Cursando a 2ª série do Ensino Médio no Colégio Medianeira, o estudante mexicano Eduardo Guzman Manzano ficou surpreso ao notar as similaridades entre a cultura e os costumes de México e Brasil. “Eu imaginava tudo muito diferente. Curitiba é uma cidade bastante avançada, tem, por exemplo, o melhor ônibus que já vi. É tudo muito organizado”, salientou Manzano, que comentou ainda sobre a curiosidade dos brasileiros pelo seu povo. “A primeira coisa que eles me perguntaram foi sobre o que comíamos. Queriam saber o que eu gosto de fazer, como é minha rotina”, complementou.

Segundo o responsável pelos alunos intercambistas e pelo Serviço de Convivência Escolar (SOCE) do Ensino Médio do Colégio Medianeira, Alessandro França Quadrado, o intercâmbio traz uma possibilidade de enxergar, ler e compreender o mundo de maneira ampla e profunda, permitir que as pessoas percebam a si mesmas por meio de uma nova perspectiva. “Muito se diz no campo da interculturalidade que 1+1=3. É um cálculo razoável quando se pensa que uma cultura em contato com uma outra cultura pode gerar uma terceira cultura, híbrida, ampla e respeitadora das diferenças”, destacou Quadrado.

Fonte: Assessoria de Comunicação Colégio Medianeira

Foto: Paulinha Kozlowski/Colégio Medianeira

Mais notícias