No dia 29 de março, a Companhia de Jesus celebrou os 470 anos da chegada dos primeiros jesuítas ao Brasil. Do desembarque aos dias atuais, os seguidores de Santo Inácio de Loyola construíram e ainda constroem um legado voltado à fé cristã, à educação e ao cuidado com o próximo, refletindo em aspectos culturais e sociais, que se misturam à própria história do país.

Na semana do aniversário da chegada dos jesuítas ao Brasil, diversas foram as comemorações realizadas em todo o território nacional. Destaque para a celebração realizada na Catedral Basílica de Salvador, cidade onde desembarcaram pela primeira vez no país e na qual realizaram a primeira missa jesuíta em território nacional: em 31 de março de 1549. A celebração foi realizada no dia 30 de março pelo Arcebispo de Salvador, Dom Murilo Krieger, que em homília homenageou os jesuítas. Em sua fala, Dom Murilo destacou que “as cartas dos primeiros jesuítas testemunham o fogo que ardia em seus corações – fogo acendido pelo amor de Cristo. Esse fogo, que atravessou séculos, beneficiou nossa cidade de Salvador, a Bahia e o Brasil. É impossível escrever a História de nossa cidade, de nosso Estado e de nosso país sem levar em conta a paixão que os jesuítas tinham por Jesus e o desejo de que as almas de todos fossem salvas”.

Para o Pe. Carlos Alberto Contieri, coordenador do Cuidado do Patrimônio Histórico e Cultural da Companhia de Jesus no Brasil, o que moveu os jesuítas foi o desejo de transmitir a doutrina cristã. “Somos uma Ordem religiosa eminentemente missionária e que tem como finalidade ‘ajudar as almas’. Essa expressão, típica do século XVI, dava a dimensão de ajudar as pessoas, por meio de diferentes ministérios, como a pregação da Palavra, os Exercícios Espirituais etc.”, explica.

O legado dos jesuítas

Ao longo desses 470 anos de história, os jesuítas deixaram um grande legado, percebido não só na educação, referência até hoje, mas também na cultura, na ciência e outras áreas. Importante ressaltar que os jesuítas também foram fundadores das primeiras cidades brasileiras.

Pe. Contieri destaca quatro elementos fundamentais desse trabalho: o reconhecimento do território nacional, a preocupação dos jesuítas com as pessoas, o ensinamento da doutrina cristã e a educação. Para o sacerdote, a educação é um dos fatores principais para o desenvolvimento de uma nação. “Os jesuítas descobrem a educação como um meio eficaz de promover o bem comum, portanto, a educação vai dar, também aqui no Brasil, uma perspectiva de identidade. Sem educação, não há identidade, pois é ela que nos permite dizer quem somos e isso não só como pessoas, mas também quem nós somos como comunidade e nação. A educação promovida pela Companhia de Jesus patrocinou essa consciência nacional”, afirma.

Nos mais variados âmbitos, a contribuição dos jesuítas para a sociedade brasileira transcende séculos, abre caminhos e vai ao encontro de um lema que inspira gerações de padres e irmãos, e que resume a trajetória do fundador da Companhia de Jesus – Santo Inácio de Loyola – e seus seguidores: ‘em tudo amar e servir’.

Fonte: Portal Jesuítas Brasil e Assessoria de Comunicação Colégio Antônio Vieira

Foto: Divulgação

Mais notícias