Estudantes de Viamão enviam cartas a crianças refugiadas

A quarta-feira (4/7) foi um dia especial para um grupo de cinco alunos do 6º ao 9º ano da Escola Municipal Jardim Outeiral, de Viamão, na região metropolitana de Porto Alegre. Junto de três professores, eles visitaram a sede da Associação Antônio Vieira – ASAV, para entregar 18 cartas com textos individuais e em grupos selecionadas entre 60, para serem traduzidas e enviadas a crianças que vivem no campo de refugiados de Zaatari, na Jordânia.

No momento da entrega na ASAV, parceira do ACNUR no atendimento a refugiados, o grupo conheceu um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido pelo Programa Brasileiro de Reassentamento Solidário de Refugiados, vinculado ao Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados. As cartas vão ser encaminhadas para a ONG África do Coração, de São Paulo, que fará a tradução para a língua árabe e, após isso, viajam até a Jordânia, sendo entregues às crianças refugiadas.

A professora Rosana Kasper conta que o trabalho surgiu a partir da leitura do livro ‘Cartas a povos distantes’, do escritor Fábio Monteiro. A partir da história de uma troca de cartas entre dois meninos de países distantes, foi fácil associar ao tema do refúgio, que tem enchido os noticiários. Discussões, leituras, vídeos, tudo foi sensibilizando os alunos até chegarem na ideia de trocar as correspondências.

Ganhador do Prêmio Jabuti 2016, o escritor Fábio Monteiro também esteve na ASAV e falou sobre a importância do leitor para o escritor. “O livro nunca está completo, ele precisa do leitor. O livro fica silenciado na biblioteca. Ser leitor é tão importante quanto ser escritor. O escritor aprisiona as histórias dentro do livro e quem liberta são os leitores”, enalteceu Monteiro.

A pequena Isabele Machado Alves fez parte do grupo de alunos que participou da visita e salientou que o “trabalho foi muito interessante e inovador, porque pudemos conhecer novas pessoas e dar amor para elas por meio das cartas”.

Para o diretor da Escola Municipal Jardim Outeiral, Márcio Cândido, atividades como essa são importantes para o desenvolvimento da cidadania nos estudantes, tornando-se ferramenta para uma nova visão do contexto social. “Esse trabalho pedagógico abre a mente das crianças para saberem que do outro lado do mundo existem seres humanos iguais a nós. Isso é fundamental para crescimento do aspecto humano nos estudantes”, disse. Na ocasião, a Associação de Pais e Mestres do Colégio Anchieta ainda fez a doação de livros para o acervo da Escola Municipal Jardim Outeiral.

A coordenadora do Programa Brasileiro de Reassentamento Solidário de Refugiados da ASAV, Karin Wapechowski, elogiou o trabalho dos professores e incentivou o prosseguimento de iniciativas como a da escola de Viamão. “Essa sensibilização sobre o assunto ainda na escola é fundamental para a formação da cidadania. Queremos que isso não seja apenas um projeto pontual, mas um programa que tenha continuidade, com ações voltadas à Educação em Direitos Humanos, fazendo parte do currículo escolar”, frisou Karin.

Fonte: Assessoria de Comunicação ASAV

Fotos: Matheus Kiesling/ASAV

Mais notícias

By | 2018-07-11T14:31:39+00:00 julho 5th, 2018|Ação Social|