O Diretor Nacional do Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados Brasil (SJMR), Pe. Agnaldo Junior, a equipe do Escritório Porto Alegre, representantes do Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE) e do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), estiveram reunidos para alinhar as ações de 2019. O encontro foi realizado na sexta-feira (1º/3), na sede da Associação Antônio Vieira (ASAV), em Porto Alegre.

Durante a reunião, o principal tema em pauta foi o processo de acolhida de refugiados do Triângulo Norte da América Central, formado por Honduras, Guatemala e El Salvador, que será promovido por governo e sociedade civil. Além deste, assuntos como um resumo das atividades realizadas pela equipe jesuíta no sul do país, o apoio de voluntários, discussão de um plano de monitoramento, além de deliberações a respeito dos próximos passos a serem feitos em âmbitos regional e nacional. Em 2018, o SJMR realizou um amplo trabalho de apoio a migrantes venezuelanos em diversos estados do Brasil e, mais especificamente no Rio Grande do Sul, o Escritório Porto Alegre participou do processo de interiorização de centenas de pessoas.

Recentemente, o trabalho desenvolvido pelas equipes do SJMR no Brasil e no mundo ganhou ainda mais destaque. Isso porque, no final de fevereiro, o Superior Geral da Companhia de Jesus, Pe. Arturo Sosa, promulgou as quatro Preferências Apostólicas Universais a serem trabalhadas ao longo dos próximos dez anos (2019-2029) pelas instituições jesuítas. E entre elas está ‘Caminhar com os pobres, os descartados pelo mundo, os vulnerados em sua dignidade, numa missão de reconciliação e justiça’, a segunda das quatro Preferências, indo ao encontro das iniciativas em prol dos migrantes e refugiados.

Para Pe. Agnaldo, o alinhamento entre as iniciativas da Igreja com diferentes setores da sociedade é fundamental para que se possa dar respostas a essa crise humanitária que se vive. “Saio satisfeito daqui, olhando para o que fizemos em 2018, com grandes passos rumo à consolidação do SJMR no Brasil, sensibilizando a Rede Jesuíta de Educação, o Magis e Fundação Fé y Alegria, permitindo que seus diferentes públicos se engajassem nessa missão”. Sobre o planejamento para 2019, o sacerdote também está otimista. “Neste ano, o Escritório Porto Alegre tem em sua agenda importantes momentos, como o encerramento do projeto de interiorização de 612 venezuelanos, iniciado ano passado, o reassentamento de 26 salvadorenhos e hondurenhos que chegarão em maio ao Rio Grande do Sul e a criação de uma casa de acolhida, nos moldes das que já existem em Salvador, Belo Horizonte e São Paulo, esta última em uma exitosa parceria com o ACNUR.”

Fonte: Assessoria de Comunicação ASAV

Fotos: Matheus Kiesling/ASAV

Mais notícias