A comunidade educativa do Colégio Anchieta conheceu, na noite de segunda-feira (19/3), no Auditório 1, a próxima etapa do Sistema de Qualidade na Gestão Escolar da FLACSI, que contempla os projetos que serão implementados na instituição a fim de qualificar processos internos em busca da formação integral dos seus alunos. A implementação dos projetos terá duração de dois anos.

Na ocasião, o Diretor Geral do Colégio Anchieta, Pe. João Claudio Rhoden, retomou o trabalho realizado e fez um convite aos presentes para que participem da implantação dos projetos, destacando que se trata de um processo coletivo de qualificação do trabalho. “Esses projetos irão nos desafiar bastante até chegarmos à aprendizagem integral dos nossos alunos, e mais além: à sua formação integral”, destacou.

A Coordenadora Interna do Sistema de Qualidade no Colégio Anchieta, Isabel Tremarin, ressaltou a importância de todo esse processo pelo qual a instituição está passando e lembrou que para se chegar ao objetivo é necessário um esforço coletivo. Já a facilitadora da FLACSI Juliana Heleno, do Colégio Medianeira, salientou o impacto dessa etapa na instituição, uma vez que demanda o trabalho de modificar e atualizar aspectos que muitas vezes já são consolidados institucionalmente. “O mais impactante é viver esse momento, mas percebemos que o Anchieta tem uma capacidade instalada de mexer no que é o coração da escola. É um ato de coragem muito grande”, parabenizou.

Os coordenadores dos projetos e da ação de melhoria foram convidados a explicar brevemente os objetivos e justificativa das propostas. Logo após, houve a formação de 15 grupos com cerca de 15 integrantes cada, para discutir as ideias apresentadas e apontar sugestões para o trabalho que será desenvolvido nessa etapa.

 

Conheça os projetos:

– Ressignificação do Projeto Pedagógico:

Hoje o Colégio Anchieta não possui um documento único que explicite as aprendizagens esperadas nas diferentes etapas e áreas do currículo. Esse projeto pretende revisitar esses documentos já existentes à luz do Projeto Educativo Comum (PEC) e redesenhar o currículo de todos os níveis de ensino, incluindo as atividades de Formação Complementar, que hoje não estão contempladas no Projeto-político Pedagógico e que trabalham as dimensões socioemocional e espiritual-religiosa, partes integrantes da formação integral dos alunos.

Algumas mudanças já foram sendo ajustadas à medida que o projeto era construído, como o novo sistema de avaliação do Ensino Fundamental II e Ensino Médio e o trabalho com as demais dimensões do processo educativo.

 

– Acompanhamento das Atividades Docentes:

Esse projeto prevê estratégias para acompanhar e apoiar o professor em seu trabalho em sala de aula. Na primeira etapa do projeto, o grupo responsável deverá desenvolver um documento-síntese com os principais conceitos de acompanhamento e retroalimentação docente. Depois, serão criados protótipos de acompanhamento para os profissionais de cada segmento a fim orientá-los a melhorar sua prática em sala de aula.

Segundo a facilitadora Juliana Heleno, nenhuma unidade da Rede Jesuíta de Educação possui um projeto como esse, tornando o Colégio Anchieta pioneiro nesse aspecto.

 

– Ação de Melhoria:

Após a etapa de autoavaliação, ficou evidente a necessidade de medir sistematicamente o clima e os graus de participação e satisfação de alunos, pais e educadores do Anchieta com o objetivo de conhecer a opinião desses públicos e qualificar as práticas de gestão institucionais.

Os instrumentos de pesquisa devem atender às especificidades de cada público, diferenciando sua abordagem e objetivos de pesquisa. Para construir os instrumentos, o grupo responsável irá trabalhar com estudos sobre tipos de pesquisa e contara com o auxílio de especialistas da Unisinos que realizaram a Pesquisa de Mercado do Colégio Anchieta em 2017.

Fonte: Assessoria de Comunicação Colégio Anchieta

Foto: Joaquim Mello/Magis Produções

Mais notícias